Olá queridos, hoje vamos conhecer o nosso novo professor de canto, violão, guitarra e flauta transversal, saber sobre a história dele e sua formação, bora?

Professor de música Abner dion

 

1. Fale sobre você

Meus pais são cantores religiosos e desde pequeno fui influenciado por sua carreira e nesta época frequentei palcos em shows me apresentando a públicos imensos. Aos meus 12 anos aprendi a tocar violão e foi o que me levou a dar início a minha carreira como músico.

Participei de diversos projetos em bandas, sarais de comunidade e dei início a minha carreira solo, passei a estudar guitarra como segundo instrumento e foi quando surgiu o meu sonho de ser professor. Nesta época me apresentei em muitos lugares ao ar livre em São Paulo e em um deles conheci um flautista e foi quando passei a produzir flautas de madeira, instrumentos de reciclagem e desenvolvi meus talentos na flauta transversal.

Depois de me formar na faculdade de licenciatura pude realizar meu sonho de dar aula para crianças e entrei em um curso particular internacional de canto e desde então venho desenvolvendo cada vez mais rumo ao sucesso, segundo estes métodos que situam canto popular e erudito.

 

2. Conte como surgiu o seu interesse pela música

Sempre tive interesse pela música, mas o rock e o metal quem trouxe para casa foi meu irmão mais velho. Com meu tio também eu tocava heavy metal. Posteriormente desenvolvi gostos variados por MPB, Bossa nova, Folk e música clássica além das variedades de rock.

 

3. Fale sobre sua formação

Eu sou formado em licenciatura pela universidade Claretiano – Ceuclar, em canto pela TV’S Stúdio, e em violão pela prefeitura de Suzano.

 

4. Quando você descobriu que queria lecionar?

Percebi no momento em que, apesar de meus talentos para música, eu não tinha interesse em continuar uma carreira como a de meus pais, mas sim criar um caminho novo e pessoal. Quando atingi os meus 17 anos de idade decidi que lecionar era o que eu queria. Nesta época eu fazia outra graduação que não terminei, para trocar por música e lá conheci muitas pessoas e o meio acadêmico, que me serviram de muita inspiração para perceber que lecionar era o meu futuro.

 

5. Quais instrumentos você ensina?

Ensino principalmente o canto e as técnicas que este contempla nos mais diversos repertórios. Como também tenho outras habilidades ensino violão, guitarra e flauta transversal.

 

6. Qual dica você da para os pais que querem que seu filho estude música?

Como eu costumo dizer aos pais de meus alunos “Para que seu filho desenvolva bem e rápido é preciso paixão. A paixão surge na medida em que o aluno se relaciona com um instrumento que o inspira, que se sente confiante e tem um vislumbre de onde quer chegar, para isto é preciso ouvir com atenção e observar como que ele se sente, portanto coloca-lo em uma escola de música é um belo começo, pois, como pedagogo, num ambiente preparado, nós professores podemos proporcionar uma experiência que irá direciona-lo ao caminho que tanto sonha sem riscos de frustrações".

 

7. Qual a maior dificuldade dos alunos e como você lida com isso em aula?

A autoconfiança é um dos maiores problemas para o estudante de música porque ele precisa lidar com a pressão e expectativa das outras pessoas, critérios de qualidade sociais e sem sequer saber quais são os critérios musicais que ele precisa atingir. Sendo a música uma linguagem nova, é comum eles se sentirem assustados, mas através do passo-a-passo que proporciono em minha pedagogia, os alunos desenvolvem a capacidade de utilizar as ferramentas que obteve para superar estas barreiras e uma vez aprendido ele irá conseguir utilizar este saber para abrir portas em todas as outras áreas de sua vida.

 

8. Qual dica você da para quem quer estudar um instrumento/canto?

No canto a saúde é o principal. Em minha metodologia o aluno desenvolve uma saúde que ajuda bastante, por exemplo na fala. Além disso é preciso ter referências e para qualquer instrumento verdadeira paixão para que nenhuma procrastinação possa vir a ser uma sabotagem ao alto desenvolvimento.
É preciso também ter sempre a mão ferramentas para treinar todos os dias pequenos exercícios, pois a prática diária coloca o corpo em sincronia, como em uma academia e isto será uma fundação para o seu aprendizado.

 

9. Qual instrumento você mais estuda?

Eu estudo mais o canto e a guitarra, pois são instrumentos que demandam muita atenção e treino.

As vezes na música, para uma boa performance, precisamos olhar para dentro, nos conectar e aí sim tocar, dessa forma o ouvinte tem uma experiência mais profunda do que um simples reproduzir de notas e a apresentação vai para um outro nível.

 

10. Dicas, sugestões e comentários

Quer desenvolver música? Comece por selecionando e pondo em prática o estudo das músicas que de fato você deseja aprender, seja cantando, ouvindo ou tocando etc. Por meio destas referencias você será introduzido nesta linguagem. Observe as frases e procure repetir o que ouve. Ouça com atenção ativa e não apenas passivamente. Pense na música como uma língua a ser falada, procure aprender dialetos, frases, tente balbuciar alguma melodia, deixe a criatividade fluir trazendo pequenos trechos de melodia a mente e use a intensidade da emoção para se divertir e desenvolver criatividade, isto vai te colocar no caminho certo de desenvolver a sua paixão que é o caminho para todo artista de sucesso.

 

Então é isso, espero que tenham gostado de conhecer o professor Abner e confira também o nosso post sobre a professora Cintia Camprubi 

 

Katherine Ebesui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *