Hoje vamos conhecer um pouco mais da história da festa junina, suas músicas e instrumentos típicos.

As festas juninas são uma marca da colonização portuguesa. Elas marcam um ciclo de festividades para celebrar 3 santos: Santo Antônio (13/06), São João (24/06) e São Pedro (29/06), no entanto ela teve também influência de festas pagãs que foram apropriadas pela igreja católica.

 

A quadrilha é um conjunto de coreografias com cinco partes, cada uma com ritmos e músicas diferentes. Essas variações de dança vieram das festas nos palácios, trazidos pela família real portuguesa em 1808.

Os ritmos que ficaram marcados como juninos foram a polka e a marcha. Com o tempo o forró também ganhou expressividade. Hoje cada região do Brasil possui um tipo de ritmo característico, como no Nordeste o Bumba-meu-boi, siriri no Mato Grosso, entre outros.

 

Os instrumentos mais usados são cavaquinho, sanfona, triângulo, reco-reco, entre outros, que estão na base da música popular e folclórica portuguesa que foram trazidos pelos imigrantes. Assim como as roupas caipiras que são uma referência ao povo campestre que povoou principalmente o nordeste do Brasil.

No caso da quadrilha, hoje em dia encontram-se os seguintes instrumentos: acordeão, pandeiro, zabumba, violão, triângulo e cavaquinho. A música é geralmente algo comum aos bailes de roça, hoje em dia encontramos muito a música sertaneja, por exemplo.

Hoje vemos uma grande mudança nas músicas e estilo da festa junina, como ritmos e bandas não tradicionais aos tipicamente vivenciados, que vão acrescentando às grades e programação das festas regionais, incentivando o maior interesse de novos públicos. Essa tem sido a aposta de vários festejos para agradas a todos, não deixando de lado os costumes juninos.

Espero que tenham gostado de saber um pouco mais sobre o lado musical da festa junina. Fiquem ligados para mais dicas da GM!

Katherine Ebesui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *